Património.pt

22 Mar 2016

 

Nome completo: Maria Goretti Vieira Queirós

Idade: 30

Número de 'amigos' no Facebook: 239

Quais os teus principais interesses? Leitura, história e música. 

Formação académica (curso, ano, universidade): Licenciatura em Animação Cultural 2007 – Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha 

 

 

Porque escolheste este curso? Vocação ou mercado?

 

Vocação, possibilidade de cruzamento de várias áreas (cultural, social, educativa).

 

Preocupa-te mais a ideia de conseguir um emprego estável ou uma boa experiência profissional, mesmo que temporária?

 

Neste momento, e especificamente nesta área profissional, considero que ter oportunidades para adquirir experiência é sinónimo de um percurso mais enriquecedor. Ou seja, um conjunto de experiências diversificadas contribuem para alargar e perceber melhor quais as nossas verdadeiras competências. No entanto, há um momento em que é fundamental que esse trabalho se torne estável. 

 

Gostavas de ter um ‘emprego para a vida’?

 

Sim. Se esse emprego me proporcionasse crescimento e um conjunto de realizações pessoais e profissionais, sim. 

 

Interessa-te também o passado ou pensas mais no futuro?

 

Penso que é fundamental conhecermos o passado para nos podermos projectar para o futuro. Neste sentido, penso mais no futuro, como sinónimo de progresso e desenvolvimento. 

 

O que representa para ti o património cultural? Qual a primeira ideia que te vem à cabeça?

 

Identidade. É definitivamente todo o património, material e imaterial, que nos define, nos une e nos distingue.

 

Qual foi a tua última experiência cultural? Foi patrimonial (museu, monumento, exposição…) ou simplesmente lúdica… (Sudoeste, Optimus alive, Rock in Rio…)?

 

Patrimonial. Museu do Alvarinho, Monção.

 

O que é para ti visitar um monumento, um museu, uma cidade histórica?

 

É perceber a identidade local, os costumes, e a relação que existe entre o passado histórico/património e a contemporaneidade.

 

Qual é o teu tipo de consumo cultural?

 

Eventos culturais ao ar livre; Exposições; Literatura.

 

Artesanato, artes tradicionais, saberes, costumes…diz-te alguma coisa?

 

Sim. Memórias, e uma identidade que é importante reconhecer e preservar e que, cada vez vais, felizmente, é reinventada e reinterpretada.


O Património é uma área que te interesse para uma futura carreira profissional? Já pensaste nisso, em que campo?

 

Sim, sem dúvida. Na área da gestão e programação cultural. 

 

Faz sentido para ti, uma segunda licenciatura, especialização ou formação específica nesta área (restauro, gestão cultural, etc.)?

 

Só ainda não realizei essa vontade por impossibilidades económicas. Mas desejo poder especializar-me (mestrado) em Gestão Cultural. 

 

Sabes o que faz um conservador-restaurador, um arqueólogo, um historiador da arte? Já visitaste uma escavação, uma obra de restauro ou acompanhaste um projecto cultural? Tens curiosidade?

 

Assisti, por casualidade, a uma intervenção de restauro de uma pintura no exterior da Sé do Funchal. Incrível trabalho de precisão e detalhe. Em contexto académico, visitei as escavações arqueológicas de Eburobrittium, em Óbidos.

 

Tens 1 hora livre, 10 euros e estás num bonita cidade mediterrânica: um passeio, um gelado ou um monumento?

 

Um passeio a um monumento…

 

 

 

 

 

 

Share

Comentar


Colunistas

Rubricas diárias +

05 Jul 2017 |

“Esplendor na Relva” – Ciclo de cinema em Monserrate

Durante os quatro primeiros fins-de-semana de Julho, os jardins do Palácio de Monserrate vão receber 12 obras-primas da história do cinema.

VER +

28 Jun 2017 |

 

Beja na rua

De 16 de Junho a 15 de Julho, Beja recebe o festival de artes na rua. 

VER +

14 Jun 2017 |

 

Observatório de Turismo Sustentável no Alentejo


No dia 1 Junho, em Évora, foi assinado o memorando para a criação do Observatório de Turismo Sustentável no Alentejo.

VER +

07 Jun 2017 |

Douro acolhe encontro internacional sobre sustentabilidade dos sítios UNESCO

 

Na primeira semana de Junho, O Alto Douro Vinhateiro recebe o “World Generation Week”.

VER +

Veja também +

5 Dez 2013 |


A Encomenda Prodigiosa - Um olhar para os bastidores

 

Sempre gostámos dos bastidores. De como as coisas se fazem. De como as coisas se montam e surgem. Até porque sabemos que não é, de todo, por magia: é sempre fruto de muito trabalho, preparação, coreografia de equipa. 

Iniciamos com esta peça uma visita aos bastidores de exposições, de equipamentos culturais, de eventos importantes no panorama do património cultural português que nos permitam mostrar um lado malogradamente muito desconhecido da população em geral. Acreditamos que esta partilha de informação contribuirá para gerar mais curiosidade, mais interesse, mais consumo destas formas de entretenimento cultural.

CLARA BERTRAND CABRAL, 22 Mai 2013 |


Património cultural imaterial, um património inclusivo

 

Os processos de patrimonialização são, de uma maneira geral, iniciativas levadas a cabo por especialistas e eruditos, detentores dos saberes e ciências que legitimam a atribuição do estatuto patrimonial a elementos materiais tais como objetos museológicos, monumentos, paisagens ou conjuntos de edificações. Ser “património” significa possuir determinadas características, como por exemplo ser uma obra-prima da criatividade humana, testemunhar uma época ou cultura, possuir raridade ou autenticidade, enfim, ser detentor de uma excecionalidade que lhe atribui valor inquestionável aos olhos do sujeito patrimonializador.

Tags +

Videos

Lançamento do livro “A Casa Senhorial em Portugal”

 

"A Casa Senhorial em Portugal" é o resultado de uma encomenda da Associação Portuguesa das Casas Antigas (APCA) ao investigador Hélder Carita - um dos mais notáveis estudiosos e historiadores da Arquitectura Civil Portuguesa -, sobre mais de duzentas casas senhoriais distribuídas pelo território português.

VER +

Fábrica de Chocalhos Pardalinho e a distinção da arte chocalheira como Património Imaterial da Humanidade

 

A patrimonio.pt esteve em Alcáçovas para visitar a Chocalhos Pardalinho: uma fábrica a laborar desde 1913, altura em que treze famílias da freguesia se dedicavam à produção dos chocalhos.

VER +

 

® Spira 2012 | design e implementação: ideia, designers __|__ Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia excepto no caso de artigos de autor nos quais os autores são livres de optar.