Património.pt

PATRÍCIA AZEVEDO, a 2 Dez 2015 |

Podem os jovens envolver-se com os museus?

 

Foi a 13 de Fevereiro de 2014 que um grupo de jovens se juntou na Casa-Atelier de Arpad Szenes e Vieira da Silva, fazendo nascer o FAZ 15-25. Um colectivo de jovens entre os 15 e os 25 anos de idade, com diferentes percursos e de diferentes áreas, mas com um interesse comum – envolverem-se activamente na programação de um museu. 

 

Foi assim que, desde essa altura, Filipa Alves de Sousa, mentora do projecto, potencializou a participação activa de muitos jovens no Museu Arpad Szenes-Vieira da Silva. Para Filipa Alves de Sousa (cf. “Encontros com o Património – Públicos de Museus”, da TSF) os Museus devem ser espaços de afectos, de diálogo, de encontro e de alegria. Esta afectividade é um elemento importante na estratégia de captação de públicos jovens. Deste modo, o museu tem de se abrir de uma forma afectiva, tentando compreender quais as necessidades, os problemas e os obstáculos deste tipo de público. Sendo um público muito específico – que não vem pelas escolas ou pelas universidades – para Filipa Alves de Sousa é fundamental que os museus sejam capazes de traçar estratégias muito próprias para este tipo de público.

 

É então natural que o Colectivo de Jovens FAZ tenha crescido ao longo deste último ano e meio – mais de 80 jovens já se “envolveram” directamente com o Museu Arpad Szenes-Vieira da Silva e outros 300 participaram indirectamente nas acções deste colectivo.

 

Como se lê no blogue de divulgação deste colectivo, o projecto pretende dar apoio e proporcionar oportunidades a jovens que possam:

  • - Trabalhar em colaboração com artistas;
  • - Conhecer profissionais qualificados dentro e fora do sector cultural, onde aprendem com as suas histórias de vida e os seus percursos profissionais;
  • - Desenvolver competências artísticas, mas também práticas de organização, comunicação e empreendorismo;
  • - Participar na programação da Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva, planear e organizar actividades e eventos que abram o museu a públicos jovens.

  

Regularmente, os jovens participam em encontros informais com convidados, nas chamadas "Conversas com Eles", abertas a todos os interessados entre os 15 e 25 anos; mas também são os protagonistas nos encontros com visitantes do Museu, nas "Conversas Connosco", visitas breves orientadas por membros do Colectivo FAZ 15-25, abertas ao público em geral. São os jovens que partem dos seus interesses pessoais e partilham a sua perspectiva sobre as obras da colecção do Museu. Participam também em reuniões de grupo para co-programação e preparação de actividades e eventos no Museu Arpad Szenes – Vieira da Silva, oferecendo um olhar “fresco e irreverente”. 

 

  

Para mais informações, consulte o blogue do FAZ 15-25 ou a sua página no Facebook.

 

 

 

 

« NA ESCOLA

 

 

 

Share

Comentar


Colunistas

Veja também Heritage Kids +

O que nos contam as ostras: uma história recente?

 

17 de Janeiro de 2014 - Museu Municipal de Tavira

 

A origem da ostra-portuguesa, Crassostrea angulata (Lamarck, 1819), tem sido alvo de controvérsia nas últimas décadas. Estudos recentes de genética colocaram a hipótese de que a ostra-portuguesa terá sido introduzida na Europa após o século XVI oriunda da Ásia. Neste contexto, esta apresentação reporta resultados sobre o registo fóssil de ostras em Portugal que poderá contribuir para apoiar ou não a hipótese da introdução recente desta espécie na Europa.

Porto Zoom

 

23 de Março de 2014, Porto

 

E que melhor maneira para passar a tarde de Domingo em família?! No Porto Zoom, no dia 23 de Março, entre às 14.30-17.30, vamos percorrer a baixa do Porto, com a máquina fotográfica pronta para registar as melhores imagens da cidade (workshop de fotografia + tour cultural em família). 

Veja também +

LUÍS RAPOSO, a 29 Nov 2012 |


Interesse Público e Actividades Comerciais em Monumentos e Museus
Em editorial intitulado “Novo SEC, novo OE: o Património no Estado - parte II: políticas”, publicado no site Património.PT (http://www.patrimonio.pt/), aborda Catarina Valença Gonçalves uma questão importante e muito actual em matéria de políticas do património cultural, a saber: a necessidade de definição de “serviço publico”, distinguindo este de “actividades comerciais” que possam ter lugar em monumentos e museus. Trata-se, como digo, de questão relevante e actual e dela me ocupei em intervenção que realizei em Maio passado na sessão organizada pelo ICOM Portugal no Museu Nacional de Arqueologia, durante a 9ª Conferência do EMAC (European Museums Advisors), subordinada ao tema “Commercial entrepreneurism, philantropy and Stat-counters.net

This domain name expired on Feb 7 2017 02:25:57:000AM
Click here to renew it.
government subsidy in museums”, tendo como orador principal o Dr. Michael Dixon, Presidente da Conselho dos Directores dos Museus Nacionais do Reino Unido e Director do Museu Nacional de História Natural, de Londres.

21 Set 2012 |


100 Anos de Património: os filmes
Por ocasião da Exposição de 100 Anos de Património, produziram-se 6 filmes que retratam a história da evolução do conceito patrimonial até aos nossos dias, mas também as dinâmicas das instituições e das acções da sociedade civil que lhe deram forma.

Sendo importantes documentos visuais e tendo passado bastante desapercebidos por ocasião da Exposição de 2010, em estreita parceria com a DGPC recuperamo-los aqui para que todos os possam conhecer.

Tags +

Videos

Lançamento do livro “A Casa Senhorial em Portugal”

 

"A Casa Senhorial em Portugal" é o resultado de uma encomenda da Associação Portuguesa das Casas Antigas (APCA) ao investigador Hélder Carita - um dos mais notáveis estudiosos e historiadores da Arquitectura Civil Portuguesa -, sobre mais de duzentas casas senhoriais distribuídas pelo território português.

VER +

Fábrica de Chocalhos Pardalinho e a distinção da arte chocalheira como Património Imaterial da Humanidade

 

A patrimonio.pt esteve em Alcáçovas para visitar a Chocalhos Pardalinho: uma fábrica a laborar desde 1913, altura em que treze famílias da freguesia se dedicavam à produção dos chocalhos.

VER +

 

® Spira 2012 | design e implementação: ideia, designers __|__ Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia excepto no caso de artigos de autor nos quais os autores são livres de optar.