Património.pt

03 Maio 2017 |

 

 

Museu para todos


O Museu Nacional do Azulejo disponibilizou uma APP para “smartphones” e “tablets” com vídeos em Língua Gestual Portuguesa e Gesto Internacional, para visitantes surdos.

 

O Museu Nacional do Azulejo é o único museu português que, de momento, tem uma visita para as peças mais significativas e pelos espaços mais interessantes do museu em linguagem gestual. A aplicação é gratuita e pode ser adquirida  nas lojas online Google Play (Android) e iTunes (iOS). A aplicação do MNAz detém ainda uma audio-descrição, em português e em inglês, para visitantes cegos ou com baixa visão.

No dias de hoje, os museus tem que se adaptar aos diversos tipos de públicos que os visitam e o projecto de acessibilidades do Museu Nacional do Azulejo – “Tesouros ao Alcance de Todos” tem exactamente como objectivo tornar o museu para todos.

Esta é uma iniciativa da Direcção Geral do Património Cultural/Museu Nacional do Azulejo, com o apoio da Fundação Millennium BCP e foi desenvolvida pela Realizasom.



 

Share

Comentar


Colunistas

Veja também +

Pintura mural de Caravaggio, antes e depois de um restauro que não correu bem

Quem pode fazer conservação e restauro do Património?

 

De vez em quando, surgem na imprensa casos de intervenções que, supostamente, tinham como objectivo conservar ou valorizar o Património e que, afinal, o destroem. Há ano e meio foi o Ecce Homo muito imaginativamente recriado por Cecilia Giménez em Borja; pouco depois, as pinturas murais do século XVII de uma igreja de Beja repintadas a tinta plástica por alguém com falta de vista; a seguir, a transformação dos frescos budistas de Chaoyang, do século XVIII, num friso com uma qualquer estética pop art; agora, com base na denúncia do Fórum de Conservadores-Restauradores, é um conjunto de esculturas religiosas do século XIX de Oliveira do Hospital que parece terem sido transformadas em caricaturas para desfile de Carnaval.

A recepção de públicos no Museu Nacional do Azulejo. O museu como espaço inclusivo

 

O pensamento museológico tem vindo a alterar-se com o tempo e se outrora as preocupações do museu giravam em torno das suas colecções, actualmente e cada vez mais a tónica está no lado dos públicos. O museu não é mais entendido como o repositório de bens culturais, cujo fim último assenta na sua preservação e estudo. Nos dias de hoje, e como refere Stephen Weil, o museu é um local de encontro, mediação e debate, um local de afirmação pessoal que contribui para a saúde das comunidades que serve, um local onde o melting pot melts1.

Tags +

Videos

Lançamento do livro “A Casa Senhorial em Portugal”

 

"A Casa Senhorial em Portugal" é o resultado de uma encomenda da Associação Portuguesa das Casas Antigas (APCA) ao investigador Hélder Carita - um dos mais notáveis estudiosos e historiadores da Arquitectura Civil Portuguesa -, sobre mais de duzentas casas senhoriais distribuídas pelo território português.

VER +

Fábrica de Chocalhos Pardalinho e a distinção da arte chocalheira como Património Imaterial da Humanidade

 

A patrimonio.pt esteve em Alcáçovas para visitar a Chocalhos Pardalinho: uma fábrica a laborar desde 1913, altura em que treze famílias da freguesia se dedicavam à produção dos chocalhos.

VER +

 

® Spira 2012 | design e implementação: ideia, designers __|__ Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia excepto no caso de artigos de autor nos quais os autores são livres de optar.