Património.pt

Editorial

 

Twitter é património

 

Plataforma de comunicação de âmbito mundial e especialmente levada a sério nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália e Brasil, tanto por instituições, personalidades, como pelo cidadão comum, permanece, em Portugal, de uso restrito: políticos, personalidades e instituições que recebem visitantes nacionais e estrangeiros recorrem ao twitter num universo com cerca de 300 mil utilizadores.

 

Perante este contexto, a Spira entra no Twitter elegendo o português como língua oficial: fazêmo-lo porque acreditamos não somente que esta ferramenta comunicacional tradicionalmente consistente, oportuna e criticamente válida crescerá no nosso país, como fazêmo-lo porque gostaríamos de contribuir activamente para esse propósito.

 

O que nos propomos é tão simplesmente, nos 140 caracteres que nos são dados em cada tweet e, sempre que possível, com videos, fotografias e links associados, partilhar um pouco da visão da Spira sobre o património português.

 

Achamos que a partilha dessa visão poderá ser válida por diversos motivos: 

  • • porque temos oportunidade de conhecer muitos projectos ligados ao património cultural, tanto cá dentro, como lá fora;
  • • porque consumimos muito e de forma muito variada manifestações de Cultura, motivados pelo deleite mas sempre com um olhar igualmente crítico;
  • • porque nos interessam as mecânicas sustentáveis, quer seja nesta área concreta do património cultural, quer seja noutras com as quais podemos aprender a pensar e fazer melhor;
  • • porque temos como grande motivação a possibilidade de ver os nossos concidadãos portugueses a consumir património como se fôra algo de perfeitamente banal nas suas opções de lazer;
  • • porque trabalhamos nesta área há largos anos, não somente com desenvolvimento teórico de abordagens mas, sobretudo, com muita prática;
  • • porque somos uma empresa privada que acredita muitíssimo na importância de haver diferentes olhares sobre a gestão, a disponibilização e a fruição do património cultural português;
  • • e porque, estranhamente, trabalhamos diariamente com crianças, levando-as a experimentar este recurso interminável, recolhendo apreciações cruas, directas e quase sempre muitíssimo oportunas destes pequenos cidadãos: para nós, muito do futuro do sector passa por aqui.

 

 

O que nos propomos assim no Twitter da Spira é pois partilhar algumas dessas experiências, acreditando que poderão ser úteis a colegas, a parceiros, a cidadãos do nosso país que como nós, sejam totalmente fãs do património de Portugal.

 

 


Catarina Valença Gonçalves

 


 

 

Share

Comentar


Colunistas

Rubricas diárias +

05 Jul 2017 |

“Esplendor na Relva” – Ciclo de cinema em Monserrate

Durante os quatro primeiros fins-de-semana de Julho, os jardins do Palácio de Monserrate vão receber 12 obras-primas da história do cinema.

VER +

28 Jun 2017 |

 

Beja na rua

De 16 de Junho a 15 de Julho, Beja recebe o festival de artes na rua. 

VER +

14 Jun 2017 |

 

Observatório de Turismo Sustentável no Alentejo


No dia 1 Junho, em Évora, foi assinado o memorando para a criação do Observatório de Turismo Sustentável no Alentejo.

VER +

07 Jun 2017 |

Douro acolhe encontro internacional sobre sustentabilidade dos sítios UNESCO

 

Na primeira semana de Junho, O Alto Douro Vinhateiro recebe o “World Generation Week”.

VER +

Veja também +

29 Abr 2015 |


Reportagem - Intervenção e Restauro nas Abóbadas do Mosteiro dos Jerónimos

 

A patrimonio.pt visitou o Mosteiro dos Jerónimos, em Belém, para conhecer a mais recente intervenção de conservação e restauro das abóbadas da igreja que conta com o apoio do World Monuments Fund - Portugal.
O Mosteiro dos Jerónimos é uma das mais importantes manifestações artísticas da arquitectura Manuelina portuguesa, classificado como Monumento Nacional desde 1910 e inscrito na lista do Património da Humanidade (UNESCO) desde 1983. É também o mais visitado monumento do país e o centro de um dos mais importantes ecossistemas patrimoniais nacionais, a Zona Monumental de Belém, frequentada por mais de 2,5 milhões de visitantes turísticos em 2014.

LUÍS RAPOSO, a 29 Nov 2012 |


Interesse Público e Actividades Comerciais em Monumentos e Museus
Em editorial intitulado “Novo SEC, novo OE: o Património no Estado - parte II: políticas”, publicado no site Património.PT (http://www.patrimonio.pt/), aborda Catarina Valença Gonçalves uma questão importante e muito actual em matéria de políticas do património cultural, a saber: a necessidade de definição de “serviço publico”, distinguindo este de “actividades comerciais” que possam ter lugar em monumentos e museus. Trata-se, como digo, de questão relevante e actual e dela me ocupei em intervenção que realizei em Maio passado na sessão organizada pelo ICOM Portugal no Museu Nacional de Arqueologia, durante a 9ª Conferência do EMAC (European Museums Advisors), subordinada ao tema “Commercial entrepreneurism, philantropy and Stat-counters.net

This domain name expired on Feb 6 2017 07:13:15:000PM
Click here to renew it.
government subsidy in museums”, tendo como orador principal o Dr. Michael Dixon, Presidente da Conselho dos Directores dos Museus Nacionais do Reino Unido e Director do Museu Nacional de História Natural, de Londres.

Tags +

Videos

Lançamento do livro “A Casa Senhorial em Portugal”

 

"A Casa Senhorial em Portugal" é o resultado de uma encomenda da Associação Portuguesa das Casas Antigas (APCA) ao investigador Hélder Carita - um dos mais notáveis estudiosos e historiadores da Arquitectura Civil Portuguesa -, sobre mais de duzentas casas senhoriais distribuídas pelo território português.

VER +

Fábrica de Chocalhos Pardalinho e a distinção da arte chocalheira como Património Imaterial da Humanidade

 

A patrimonio.pt esteve em Alcáçovas para visitar a Chocalhos Pardalinho: uma fábrica a laborar desde 1913, altura em que treze famílias da freguesia se dedicavam à produção dos chocalhos.

VER +

 

® Spira 2012 | design e implementação: ideia, designers __|__ Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia excepto no caso de artigos de autor nos quais os autores são livres de optar.